quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Monstro

Detesto caminhar pelas ruas de meu bairro sozinha depois que anoitece. Sempre fica algo no ar, algo que não sei bem descrever, mas que me causa uma impressão horrível.

Chamem de paranóia, mas sempre me sinto observada.

Esta noite não foi diferente. Minha escolta usual me abandonou à própria sorte, e lá fomos nós andando do trabalho para casa, apenas eu e meu anjo da guarda. Não fazia sentido pegar um ônibus, porque é só um ponto de distância. Demoraria mais do que os cinco minutos usuais.

Quando entrei na minha rua, a sensação começou.

É um formigar na nuca que sempre me aflige quando estou em uma situação de perigo iminente. E, ao dobrar na esquina, foi como se mil agulhas entrassem no meu corpo.

A rua estava escura, tão escura que mal enxergava os contornos das casas. Não sei dizer se realmente estava assim ou se era só minha imaginação.

Apertei o passo. E ouvi, distintamente, sons de passos atrás de mim, correndo sobre as folhas secas. Fui para o meio da rua, com medo das sombras da calçada. Um carro passou e me fez mudar de idéia. Voltei para a calçada.

Então um farfalhar me sobressaltou. Uma força maior que a minha me fazia entreabrir as pernas, senti algo atravessando. Corri.

Corri como se minha vida dependesse disso. Corri, e deixei naquela calçada escura meu nêmesis e o que sobrou de minha dignidade. Àquela altura, a possibilidade de ser atropelada não me incomodava mais. Morrer por um fusca seria mais honrado.

Afinal, nada pode ser mais vergonhoso que morrer devorada por um camundongo de rua.

3 comentários:

Tássia Pellegrini disse...

vou dormir com medo.

só não tanto por que achava que era um vampiro e, na verdade, surpreendentemente, era um rato!

que absurdo, você escreve maravilhosamente BEM!

amei, hahaha!

KêDy disse...

apos a tenção do tesxto uma riada do tipo "Dee me enganou" amei o texto.
e coitado do ratinho...
bjus
Saudades

Aline Barbosa disse...

huahauahauahaua
Adoro a pressão que a Dee faz no texto inteiro pra no fim,
deixar bem claro que não era nada demais... huahaua

Nossa, eu sei bem o que é essa sensação...
São 10 minutos andando da Lan pra casa dos meus pais,
e o caminho é escuro, às vezes vazio,
e é diária a minha caminhada das 22:00hrs...
Sei bem o que é preferir se jogar na frente de um carro do que ser devorada por um cachorro ou algo do tipo...
huahauh

Bjo!
\o7