segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Contrastes

É o pálido trajado em negro.
Um desenho a nanquim na sulfite virgem.

É o masculino fragilizado, de traços e gestos suaves, vestes justas e formas delgadas.
O feminino rude, imperioso, senhor de palavras, atos e mundos.

A mancha carmesim no pergaminho virgem.
A beleza na decadência. A flor que escapa do bueiro.
O sujo na perfeição, o batom que macula os dentes impecavelmente brancos.

O mendigo louco tocando gaita de boca na porta do shopping.
O homem de negócios que observa o cavalete vazio no meio da madrugada do aeroporto.

O comum me entedia.

6 comentários:

Tássia Pellegrini (Tanna) disse...

que texto legal, Dee *.* o comum NOS entedia. Adorei como você descreveu e a forma como jogou as palavras. Lindo.

:***

lolitchen disse...

Meus dentes manchados marcando presença *-*

Aline Barbosa disse...

Poxa, ficou muito lindo esse texto.
=]

Adorei os contrastes.
Nada mais entediante que o comum...

Enfim... Bjão!
\o7

Hariane disse...

Passei para fazer uma visita e gostei da forma com que escreve.
Palavras bem empregadas, definidas que geram significados autênticos.
Bjus

Fernanda Pedrecal disse...

Lindo, Didi... Realmente lindo. Gostei muito. :)

Beijocas da tia.

On The Rocks disse...

'o comum me entedia'.

a mim também.